IPCC ALERTA PARA NECESSIDADE DE AÇÕES PARA MITIGAÇÃO DE RISCOS CLIMÁTICOS

O relatório “Climate Change 2022: Mitigation of climate change”, foi publicado nesta segunda-feira (04).

Por Ana Carolina Castro dos Santos - publicado 06/04/2022 13h30 . Última modificação 06/04/2022 14h26 .

Recente relatório publicado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) nesta segunda-feira (4) apontou que a média anual das emissões de gases de efeito estufa globais tem crescido, fazendo com que a contenção do aquecimento global esteja fora de alcance.

De acordo com o estudo, existem provas cada vez maiores de que as alterações climáticas vistas em todo o mundo são resultado de “mais de um século de energia e utilização insustentável da terra, estilos de vida e padrões de consumo e produção problemáticos”.

O relatório, que conta com um resumo detalhado da situação para os líderes políticos, denominado de Climate Change 2022: Mitigation of climate change”, definiu políticas de infra-estrutura e tecnologia adequadas para permitir que as mudanças necessárias no comportamento da população e das indústrias possa resultar em uma redução de 40 a 70% nas emissões de gases de efeito estufa até 2050.

Mitigação de riscos

Para que a média de emissão de gases volte a cair, ou, pelo menos, estacione abaixo ou próximo a 1,5 °C (2,7°F) – valor determinado como limite para os números voltados ao aquecimento global – as cidades e outras áreas urbanas poderão contribuir para atenuar os impactos causados pelo fenômeno.

Exemplos interessantes são a criação de cidades compactas, eletrificação dos transportes em combinação com fontes de energia de baixas emissões, e o aumento da absorção e armazenamento de carbono utilizando a natureza.

Para as indústrias, o primeiro passo envolverá a utilização mais eficiente de materiais, a reutilização e reciclagem de produtos e a minimização de resíduos. Quanto à agricultura, silvicultura e outros usos do solo, estes poderão proporcionar reduções de emissões em larga escala e também remover e armazenar dióxido de carbono à escala. As opções de resposta podem beneficiar a biodiversidade, ajudando na adaptação às alterações climáticas, e garantindo meios de subsistência, alimentos e água, além do abastecimento de madeira.

Ainda de acordo com o relatório, nos cenários avaliados, a temperatura global irá se estabilizar quando as emissões de dióxido de carbono atingirem o chamado “zero líquido.” Para 1,5°C (2,7°F), isto significa atingir zero emissões líquidas de dióxido de carbono a nível mundial, no início dos anos 2050.

Clique aqui e leia o relatório completo divulgado pelo IPCC.




O INMET representa o Brasil junto à Organização Meteorológica Mundial (OMM) desde 1950.


Para maiores informações, acompanhe nosso portal oficial. A previsão de tempo e os avisos meteorológicos são divulgados diariamente em nosso aplicativo e redes sociais:

Instagram: @inmet.oficial

Twitter: @inmet_

Facebook: @INMETBR

Tiktok: @inmetoficial

Youtube: INMET

LinkedIn:/company/inmetbr

Veja mais: