OMM estabelece novos recordes de extremos de raios

Os registros contaram com a ajuda da mais recente tecnologia de satélite do Comitê de Extremos Climáticos e Meteorológicos da Organização.

Por Ana Carolina Castro dos Santos - publicado 01/02/2022 15h22 . Última modificação 01/02/2022 15h44 .

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) estabeleceu, nesta terça-feira (1), dois novos recordes mundiais de raios, um na América do Norte e outro na América do Sul. Os resultados foram publicados no Bulletin of the American Meteorological Society.

Segundo dados publicados pela OMM, os novos recordes ocorreram nas Grandes Planícies na América do Norte, e na bacia de La Plata, na América do Sul a partir de tempestades ocasionadas por Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM), cuja dinâmica favorece a ocorrência de megarraios.

A partir desta data, o raio com maior extensão já detectado cobriu uma distância horizontal de 768 ± 8 km através de partes do sul dos Estados Unidos em 29 de abril de 2020. Este novo recorde tem 60 quilômetros a mais do que o recorde anterior, que foi registrado no sul do Brasil em 31 de outubro de 2018 com uma distância de 709 ± 8 km.

Por outro lado, o novo recorde de maior duração de um único raio é de 17,102 ± 0,002 segundos que se desenvolveu continuamente em uma tempestade sobre o Uruguai e o norte da Argentina, em 18 de junho de 2020. A medida anterior era de 16,73 segundos, em uma tempestade no dia 04 de março de 2019 no norte da Argentina.

Animação de imagens do satélite GOES-16. Fonte: NOAA

Leia a notícia completa no portal da OMM em: https://bit.ly/32Q57NH

Para maiores informações, acompanhe o portal oficial do INMET. A previsão de tempo e os avisos meteorológicos são divulgados diariamente em nosso aplicativo ( portal.inmet.gov.br/bio ) e redes sociais:

Instagram: @inmet.oficial

Twitter: @inmet_

Facebook: @INMETBR

Tiktok: @inmetoficial

Youtube: INMET

LinkedIn:/company/inmetbr

Veja mais: