Portal do Governo Brasileiro

FORTES CHUVAS ATINGEM OS ESTADOS DO ESPÍRITO SANTO E MINAS GERAIS

Desde o dia 17 de janeiro de 2020 são registradas chuvas intensas em grande parte das regiões Centro-Oeste e Sudeste do país, especialmente nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

Por Luciano de Almeida dos Anjos - publicado 30/01/2020 10h33 . Última modificação 06/03/2020 09h34 .

FORTES CHUVAS ATINGEM OS ESTADOS DO ESPÍRITO SANTO E MINAS GERAIS 

Desde o dia 17 de janeiro de 2020 são registradas chuvas intensas em grande parte das regiões Centro-Oeste e Sudeste do país, especialmente nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo. A causa das primeiras chuvas mais intensas, entre os dias 17 e 18 de janeiro, foi a passagem de uma frente fria no litoral do Rio de Janeiro associada ao calor e umidade presentes no Continente. Nesse período, a área mais atingida foi o sul do Espírito Santo, onde localizam-se os municípios de Iconha e Alfredo Chaves. No dia 18/01/2020 (sábado), o acumulado de chuva na Estação Meteorológica do INMET localizada no município de Alfredo Chaves (ES), distante cerca de 33 km da cidade de Iconha (ES), chegou aos 210,2 mm. Ao longo da semana, a configuração dos ventos na atmosfera favoreceu a formação de uma banda de nebulosidade desde o sul da Região Norte até a Região Sudeste, passando pelo Centro-Oeste do Brasil. No dia 23/01 (quinta-feira), a persistência da configuração dos ventos favorecendo uma grande área de convergência de umidade, estabeleceu a formação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). A ZCAS é um fenômeno típico do verão no Brasil e é responsável por grandes acumulados de chuva durante vários dias consecutivos. Além disso, a temperatura da superfície do mar elevada na área da Região Sudeste do Brasil favoreceu a formação de um ciclone no Oceano Atlântico. Na quarta-feira (22/01), com a intensificação dos ventos na área do ciclone, a Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), classificou o fenômeno como Depressão Subtropical. Na quinta-feira (23/01), os ventos associados à Depressão Subtropical atingiram 65 km/h (ou 35 nós) em alto-mar e, por superar 63 km/h (34 nós), o fenômeno foi reclassificado e nomeado como Tempestade Subtropical Kurumí, expressão em tupi-guarani que significa “menino”, com centro a 700 km a Sudeste de Arraial do Cabo (RJ) (ver Figura 1). Já na sexta-feira, dia 24 de janeiro, os ventos enfraqueceram e o fenômeno foi reclassificado como Depressão Subtropical e com centro a 741 km ao Sul de Arraial do Cabo (RJ). A atuação desse sistema no Oceano Atlântico Sul reforçou as chuvas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste associadas à ZCAS.

Figura 1: Carta sinótica do dia 23/01/2020 às 21 horas (horário de Brasília) com a localização da Tempestade Subtropical Kurumí e da ZCAS (linha verde). Veja a Nota Técnica sobre as chuvas no ES e MG Completa em : http://www.inmet.gov.br/portal/notas_tecnicas/2020/Nota_T%C3%A9cnica_Chuvas_MG_ES_1.pdf