Portal do Governo Brasileiro

OMM CERTIFICA FENÔMENOS EXTREMOS DE RAIOS – UM NO BRASIL

Os novos recordes foram mais de duas vezes maiores do que os recordes anteriores, que foram registrados nos Estados Unidos e França.

Por Viviane Samara Barbosa Nonato - publicado 25/06/2020 16h34 . Última modificação 26/06/2020 10h32 .

Um comitê de especialistas da Organização Meteorológica Mundial (OMM) estabeleceu dois novos recordes mundiais: um para maior distância relatada e outro de maior duração relatada para um único raio, respectivamente, no Brasil e na Argentina. 

Os dois novos recordes de megarraios  foram publicados na American Geophysical Union’s Geophysical Research Letters no dia 28 de junho de 2020 e, foram verificados graças a nova tecnologia de sensores em satélite. Os novos recordes foram mais de duas vezes maiores do que os recordes anteriores, que foram registrados nos Estados Unidos e França. 

Os novos recordes mundiais são:


Maior extensão de um único raio, que cobriu uma distância horizontal de 709 ± 8 km sobre parte do sul do Brasil no dia 31 de outubro de 2018 (Figura 1).


Figura 1: Imagem de satélite do recorde de extensão de raio no Brasil em 31/10/2018.


Maior duração de um único raio, com 16,73 segundos de um raio que se desenvolveu continuamente sobre o norte da Argentina no dia 04 de março de 2019 (Figura 2).



Figura 2: Imagem de satélite do recorde de duração de um raio na Argentina em 04/03/2019.


O recorde anterior de maior distância detectada por um único raio era de 321 km e foi registrado no Estado de Oklahoma, nos Estados Unidos, no dia 20 de junho de 2007. O recorde anterior e o atual usaram a mesma metodologia para medida da extensão.


O recorde anterior de duração de um único raio era de 7,74 segundos e foi registrado no dia 30 de Agosto de 2012 na França. 


Maiores informações e notícia completa no portal da OMM em: https://public.wmo.int/en/media/press-release/wmo-certifies-megaflash-lightning-extremes