EVENTOS EXTREMOS NO BRASIL EM MARÇO DE 2022

Os acumulados de chuva em Março de 2022 ultrapassaram a média histórica.

Por Maisa Pereira de Souza - publicado 04/04/2022 16h02 . Última modificação 04/04/2022 16h46 .


O levantamento a seguir analisa os principais fenômenos meteorológicos que atuaram no Brasil em março de 2022. Os destaques são para os recordes de temperaturas e episódios de chuvas intensas que causaram perda de vidas humanas, alagamentos, deslizamentos, perda econômica com fechamento de estradas e impactos no agronegócio.

Com relação às chuvas intensas, o destaque é para as ocorrências nos estados do Maranhão, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Sul, Amazonas e Rio de Janeiro, visto que, os acumulados de chuva em Março de 2022 ultrapassaram a média histórica.

As temperaturas mínimas e recordes foram registradas na Região Sul, especialmente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina que também são descritas no documento.

1. PRECIPITAÇÃO

Durante o mês de março, o menor volume de chuva foi observado no Estado de Minas Gerais, onde a capital Belo Horizonte-MG registrou o 2° março mais seco nos últimos 112 anos. O valor de 9 mm de março/2022 foi 95% abaixo da média histórica que é de 197,5 mm. Bem como em Montes Claros-MG, foi registrado um total de chuva de 1,8 mm em março/2022, que representa 2% da média do mês que é 137 mm.

Em contrapartida, os maiores acumulados de chuva concentraram-se em grande parte das regiões Norte, Sul, áreas do Centro-Oeste e extremo leste da Bahia (Figura 1). Destaque para as chuvas volumosas sobre o extremo norte do país, devido ao posicionamento favorável da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT).



Figura 1: Mapa do acumulado de precipitação (mm) nos últimos 30 dias identifica as áreas mais chuvosas (em azul escuro) e menos chuvosas (em verde claro/amarelas).


A ZCIT é um dos sistemas meteorológicos mais importantes para a Região Norte e norte da Região Nordeste e responsável por elevados volumes de chuva caracterizando o período chuvoso destas áreas. Este sistema consiste na formação de uma zona de convergência, devido ao encontro dos ventos alísios dos Hemisférios Norte e Sul. No verão do Hemisfério Sul, este sistema inicia sua migração para o sul do equador, chegando a 4°S de latitude e a sua atuação principal são nos meses de Março e Abril.

Nas estações meteorológicas do INMET, foram registrados em 24h, acumulados de chuvas em Imperatriz-MA de 121 mm no dia 29/03 e de 80,8 mm em São Luís-MA no dia 30/03. A banda dupla da ZCIT também atuou durante este mês, que é quando aglomerados de nuvens se formam ao sul da convergência principal. Geralmente está associado a eventos extremos de precipitação sobre a costa do Ceará até o Rio Grande do Norte podendo chegar também no Estado da Paraíba. Em 24 horas, foram registrados chuvas intensas de 210 mm em Zé Doca-MA no dia 16/03 e 129,3 mm em Chapadinha-MA no dia 19/03.

Um outro sistema que favoreceu as chuvas na região Nordeste, foi o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) que é um sistema de baixa pressão que atua na alta troposfera e, dependendo do seu posicionamento, pode provocar chuvas intensas. A atuação deste sistema ocasionou volumes de chuva significativos em Natal-RN com 119 mm no dia 06/03, João Pessoa-PB com 109 mm e Porto de Pedra-AL com 114 mm, ambos no dia 05/03. Ocorreu ainda, a combinação do VCAN com a ZCIT, que resultou em fortes chuvas em Areia-PB com registro de 102,6 mm, sendo 83,8 mm em 2 horas, assim como, em Chapadinha-MA, com 99,1 mm e em Fortaleza/CE com 81,2mm, ambos no dia 11/03.

Em áreas das regiões Sudeste e Sul do Brasil, as fortes chuvas foram provocadas por frentes frias que chegaram próximas a costa ao longo do mês. No dia 20/03, foi excepcionalmente chuvoso na cidade de Petrópolis-RJ, que em menos de 10 horas superou a média histórica, que é 255,6 mm. No dia 21/03, as Estações Meteorológicas do INMET registraram chuvas em diversas áreas do Rio de Janeiro, como 233 mm em Angra dos Reis-RJ, 213 mm em Teresópolis-RJ e em Nova Friburgo-RJ com 158 mm. Já no Rio Grande do Sul, a estação de Cruz Alta-RS registrou acumulado de chuva de 126,5 mm e em Soledade-RS choveu 100,2 mm, ambos no dia 24/03. A Figura 2a apresenta a imagem de satélite do dia 24/03/2022 às 06h (horário de Brasília) destacando em especial, as chuvas no sul do país e a Figura 2b no dia 27/03 às 16h20 realçando as chuvas no centro-norte do país, onde as áreas em vermelho indicam as regiões mais favoráveis para ocorrência de chuvas intensas.

Figura 2: Imagem de satélite dos dias: a. 24/03/2022 às 09 UTC (06h no horário de Brasília) e b. 27/03 às 19:20 UTC (16h20 no horário de Brasília).


A Tabela 1 apresenta destaques de totais de chuva, média e desvio de chuva no mês de Março de 2022 para os estados do Maranhão, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Sul, Amazonas e Rio de Janeiro. Observa-se que os maiores valores de desvios positivos de chuva (ou seja, chuva acima da média histórica) foram registrados no Maranhão. Destaca-se que o valor de 395,9 mm acima da média foi registrado na estação meteorológica de Chapadinha-MA (Tabela 1). Ressalta-se ainda, que Fortaleza-CE teve o 2° março mais chuvoso em 61 anos, registrando um total de chuva de 594,8 mm (Tabela 1) o que corresponde a 77% acima da média histórica que é 336,9 mm. Ficando atrás dos 630,0 mm em março 1963.


2. TEMPERATURA

Além dos grandes acumulados de chuvas ocorridos em parte do país, o mês de março foi também marcado por quedas de temperaturas, devido ao avanço de ar frio ao longo do mês, que favoreceu a ocorrência de baixas temperaturas, principalmente na Região Sul do país. As mínimas registradas foram obervadas em Quaraí-RS com 2,5°C, São João dos Ausentes-RS com 3,5°C, Bagé-RS com 3,9°C, Bom Jardim da Serra-SC com 4,2°C ambos no dia 31/03. Algumas dessas mínimas foram recordes de frio, como em Quaraí-RS que registrou 2,5°C no dia 31/03, sendo a menor temperatura para o mês de março em 10 anos, ou seja, foi o menor valor registrado desde a instalação no dia 16/10/2007. O recorde anterior a este, foi no dia 28/03/2012 com valor de 5,2°C.

Em Bagé-RS, a menor temperatura do mês em 9 anos foi de 3,9°C no dia 31/03, sendo que o recorde anterior foi de 4,2°C em 17/03/2013. Além disso, valores abaixo de 10°C foram observados ao longo do mês, como em Uruguaiana-RS e Alegrete-RS que registraram 5°C, ambas no dia 31/03, Bagé-RS com 7,8°C no dia 20/03, Bom Jesus-RS com 10°C nos dias 21 e 28/03.

Temperaturas mais baixas também foram observadas na Região Centro-Oeste, como por exemplo em Ponta Porã-MS, onde foi observada uma temperatura mínima de 10,6°C no dia 31/03. O declínio da temperatura foi de 11°C, comparado com a mínima do dia anterior (30/03) que foi de 21,6°C. Na estação meteorológica localizada em Rio Verde-GO, a temperatura no amanhecer do dia 10/03 foi de 10,0°C.

Maiores detalhes da previsão do tempo e atualização dos avisos meteorológicos em portal.inmet.gov.br e http://alert-as.inmet.gov.br

Veja a Nota Técnica completa AQUI.

O INMET representa o Brasil junto à Organização Meteorológica Mundial (OMM) desde 1950.


Para maiores informações, acompanhe o portal oficial do INMET. A previsão de tempo e os avisos meteorológicos são divulgados diariamente em nosso aplicativo e redes sociais:


Instagram: @inmet.oficial
Twitter: @inmet_
Facebook: @INMETBR
Tiktok: @inmetoficial
Youtube: INMET
LinkedIn: /company/inmetbr