Estiagem preocupa os produtores de milho segunda safra na região Central do Brasil

A estiagem na região pode interferir no desenvolvimento de lavouras de milho.

Por Maisa Pereira de Souza - publicado 09/05/2022 16h05 . Última modificação 09/05/2022 16h39 .

O período seco na região central do País acontece durante os meses de maio a setembro, devido a persistência de massas de ar seco na região que impedem a formação de nuvens de chuva. Os acumulados de chuva variam normalmente entre 10 e 80 mm, sendo que os meses de junho e julho são considerados os mais críticos, com volumes de chuva inferiores a 40 mm.

O Estado do Mato Grosso, maior produtor da cultura do milho segunda safra, já vem sofrendo com a estiagem desde abril. Algumas localidades já estão com mais de 25 dias sem chuvas (Tabela 1), o que pode afetar o desenvolvimento da cultura do milho segunda safra e, consequentemente, causar possíveis quebras na produtividade na região produtora.

                                                                Tabela 1: Número de dias sem chuvas registrados nas Estações Convencionais e Automáticas do INMET em 09/05/2022.


A previsão climática do INMET indica chuvas dentro da média climatológica em grande parte do estado durante os meses de maio, junho e julho, com acumulados previstos entre 40 e 100 mm, enquanto para o norte do estado, as chuvas podem ficar ligeiramente acima da média.

No entanto, assim como a falta de chuva pode prejudicar o desenvolvimento do milho, as altas temperaturas, acima de 35°C, podem impactar severamente a fenologia e consequentemente sua produtividade, como explica o agrometeorologista do INMET, Cleverson Freitas.

“A temperatura prevista para o mesmo trimestre, poderá ficar dentro e ligeiramente acima da média, principalmente no mês de julho. Normalmente, os maiores acumulados de chuva na região ocorrem a partir do mês de setembro, entretanto devemos estar atentos as atualizações dos boletins agroclimáticos mensais emitidos pelo INMET”, afirma.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) ressalta a importância de considerar as previsões meteorológicas para diminuir os riscos e ter maior produção e lucro na plantação.

Para ajudar o setor produtivo, o INMET oferece informações gratuitas e atualizadas sobre a previsão do tempo em sua localidade, considerando a inclusão das áreas produtoras de diferentes culturas para todo Brasil. Estamos falando do Agromet, plataforma que disponibiliza em tempo real dados das Estações Meteorológicas do Inmet, previsão do tempo para 7 dias a partir daquele ponto, imagens de satélite, tendência de queda nas temperaturas, excesso ou falta de chuva, umidade relativa do ar e é possível também mapear as culturas do algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, bem como culturas de inverno e de verão. Além do Agromet, o INMET possui o SISDAGRO – Sistema de Suporte à Decisão na Agropecuária, que oferece ferramentas de monitoramento e previsão do balanço hídrico e produtividade em diferentes culturas, além de previsão de condições favoráveis à formação de geada. O SISDAGRO também fornece informações agroclimatológicas referentes ao balanço hídrico e dias aptos ao manejo agrícola.

O Agromet está disponível em mapas.inmet.gov.br, no portal do Inmet e no aplicativo de Previsão de Tempo: Inmet disponível para Android e IOS. E o Sisdagro pode ser acessado no portal do Inmet ou clicando em sisdagro.inmet.gov.br/sisdagro

O INMET é um órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e representa o Brasil junto à Organização Meteorológica Mundial (OMM) desde 1950.

A previsão de tempo e os avisos meteorológicos são divulgados diariamente em nosso portal, aplicativo e redes sociais:

Instagram: @inmet.oficial

Twitter: @inmet_

Facebook: @INMETBR

Tiktok: @inmetoficial

Youtube: INMET

Veja mais: