Desastres meteorológicos aumentam em frequência, mas diminuem em fatalidade segundo a OMM

Organização prevê aumento nos índices de desastres meteorológicos, mas lança olhar positivo sobre possibilidades de gerenciamento e contorno de danos e mortes.

Por Anna Julia Duarte - publicado 08/09/2021 15h26 . Última modificação 08/09/2021 17h07 .

No dia 31 de Agosto (2021), a Organização Mundial da Meteorologia (OMM) publicou um relatório extenso sobre os desastres relacionados ao clima registrados nos últimos 50 anos. Neste relatório, foram catalogados os tipos de desastres, a quantidade de mortos e o valor em perdas sofridas.

Foi revelado que, de 1970 a 2019, ocorreram cerca de 10.000 desastres climáticos, resultando em mais de 2 milhões de mortes e US$ 3.46 trilhões em despesas. Um dado interessante é o de que, apesar de a quantidade de desastres ter se multiplicado em 5 vezes no decorrer deste período, a quantidade de mortes diminuiu em 3 vezes.

Fonte: The Atlas of Mortality and Economic Losses from Weather, Climate and Water Extremes (1970–2019)

Segundo o secretário geral da OMM Prof. Petteri Taalas, apesar de as expectativas para o futuro serem de aumento nesses desastres, há também uma perspectiva esperançosa, já que cada vez mais é possível se preparar para eles e remediá-los.

Mas ainda há muito a ser feito. Dos 193 países membros da OMM, apenas metade deles são equipados com sistemas de aviso prévio para lidar com futuros desastres. A OMM ressalta a necessidade dos países em revisar protocolos de ação pré-existentes para ajustá-los à mudanças na intensidade de futuros desastres, reforçar investimento financeiro em sistemas de previsão, aviso e gerenciamento de desastres, e desenvolver políticas que lidem com desastres a longo prazo como períodos de seca.

No Brasil, foi lançada a plataforma Agromet, projeto do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB). O Agromet conta com atualização constante dos seus dados para consultas em tempo real, análise de dados passados e projeções futuras, podendo ser visualizados por região e cultura agrícola. Através das informações da plataforma, medidas podem ser tomadas em nível nacional e internacional, em função de reduzir os impactos de desastres ambientais. O Agromet pode ser encontrado no Portal do INMET e no aplicativo de esmo nome para Android e iOS.

Inmet e OMM

A filiação do Brasil ante à OMM completou 71 anos em Abril deste ano. Logo no ano 1957, ocorreu a designação do INMET como autoridade brasileira nos temas referentes ao tempo, clima e água pela organização especializada das Nações Unidas (ONU).

O Diretor do Inmet, Miguel Ivan Lacerda de Oliveira, é membro do Conselho Executivo e Representante Permanente do Brasil junto à OMM.