ANÁLISE DAS CHUVAS NA BAHIA, MINAS GERAIS E ESPÍRITO SANTO EM DEZEMBRO DE 2021.

O mês de dezembro de 2021 foi marcado por muita chuva em grande parte da Bahia e no norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. O principal fenômeno meteorológico responsável pelas chuvas nessas áreas foi a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS).

Por Viviane Samara Barbosa Nonato - publicado 27/12/2021 17h30 . Última modificação 28/12/2021 14h51 .

Monitoramento/Dados Meteorológicos

Os acumulados de chuva em dezembro de 2021 (considerando dados até a manhã do dia 27/12) já ultrapassaram, e muito, a média de todo o mês. Em algumas Estações Meteorológicas do INMET, o mês de dezembro de 2021 é o mais chuvoso há pelo menos 15 (quinze anos).

A Tabela 1 apresenta alguns dados de chuva de Estações Meteorológicas do INMET. Abaixo, a descrição de alguns dos valores e recordes:

Em Lençóis (BA), o total de chuva entre os dias 01 e 27/12 de 578,0 mm representa 445,4 mm acima da média para todo o mês de dezembro que é de 132,6 mm. Além disso, é o maior acumulado em dezembro desde 1961, superando o recorde anterior de 564,5 mm de dezembro de 1989.

Em Caravelas (BA), o total de chuva até a manhã do dia 27/12 de 493,4 mm representa 346,2 mm acima da média para todo o mês de dezembro (148,0 mm). O mês de dezembro de 2021 já é o mais chuvoso nessa estação desde 1961, ultrapassando o recorde anterior de 404,7 mm de dezembro de 2006. Destaque também para o total de chuva no dia 24/12 de 117,9 mm.

Na Estação Meteorológica do INMET em Ilhéus (BA), o total de chuva entre os dias 01 e 27/12 de 410,4 mm representa 265,4 mm acima da média para todo o mês de dezembro que é de 145,3 mm. Apenas no dia 25/12, o total de chuva nessa estação foi de 139,0 mm. Além disso, é o maior acumulado em dezembro desde 1961, superando o recorde anterior de 356,3 mm de dezembro de 1975.

Já na Estação de Pedra Azul (MG), o total de chuva até a manhã do dia 27/12 foi de 612,5 mm, maior valor acumulado em um único mês desde 1961, ultrapassando o valor de 488,3 mm de dezembro de 1989. Ressalta-se que a média para o mês de dezembro é de 187,2 mm e, o total anual de chuva nessa estação é de 853,7 mm. Destaque também para o acumulado de chuva de 134,2 mm no dia 27/12, maior valor em único dia desde 1961, ultrapassando o recorde anterior de 132,8 mm em 02/01/2002. Ou seja, dezembro de 2021 é um mês de recordes na Estação de Pedra Azul-MG.

Tabela 1: Dados de chuva mensais, média e desvio. Fonte: INMET.

Por que tanta chuva nessa região?

O mês de dezembro de 2021 foi marcado por muita chuva em grande parte da Bahia e no norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. O principal fenômeno meteorológico responsável pelas chuvas nessas áreas foi a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). A ZCAS é um dos principais sistemas meteorológicos responsáveis pela reposição hídrica em parte do Brasil central no período chuvoso e tem como característica a persistência de uma faixa de nuvens que fica, praticamente estacionada, provocando muita chuva sobre as mesmas áreas por, pelo menos, 4 dias consecutivos.

Apenas em dezembro de 2021 foram 3 (três) episódios de ZCAS: o primeiro de 01 a 04/12, o segundo de 07 a 11/12 e o terceiro de 23 a 27/12. A Figura 1 apresenta a carta sinótica da noite do dia 26/12/2021 (27/12/2021 às 00 UTC ou 26/12/2021 às 21h – horário de Brasília) com a configuração da ZCAS entre os estados de Tocantins, Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo, prosseguindo para o oceano Atlântico Sul.

Além da ZCAS, a temperatura da superfície do mar nos oceanos Pacífico e Atlântico também contribuiu para potencializar as condições das chuvas.

No oceano Pacífico, a atual temperatura do mar abaixo da média configura o fenômeno La Niña. Tecnicamente, é chamado de fase fria do fenômeno El Niño – Oscilação Sul (ENOS). Atualmente as anomalias são da ordem de -1,1°C, o que define o fenômeno como de intensidade moderada. A maioria dos modelos de previsão de ENOS, gerados pelos principais centros internacionais de Meteorologia, indicam uma probabilidade superior a 60% de que se mantenha o fenômeno La Niña durante o verão, podendo atingir a intensidade de moderado entre os meses de dezembro/2021 e janeiro/2022.

Já no oceano Atlântico Sul, as temperaturas da superfície do mar estiveram em torno de 0,5°C acima da média em toda a costa da Região Nordeste do Brasil, favorecendo a manutenção e permanência da banda de nebulosidade da ZCAS sobre grande parte do estado da Bahia.


Figura 1: Carta Sinótica de 27/12/2021 às 00 UTC. Fonte: INMET.

Previsão para os próximos dias

Entre a noite do dia 27/12/2021 e a noite do dia 28/12/2021 a previsão ainda indica acumulados de chuva significativos em áreas do sul da Bahia e no norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. Não estão descartados totais de chuva pontuais de 100 mm especialmente no extremo sul do estado da Bahia.

A Figura 2 apresenta o total de chuva previsto até a noite do dia 28/12 pelo modelo COSMO do INMET. Tons em vermelho indicam áreas com previsão de chuva entre 80 e 100 mm.

A Figura 3 apresenta a área de Aviso Meteorológico vermelho de acumulado de chuva válido até às 10h do dia 28/12. O Aviso completo pode ser acessado em: https://alertas2.inmet.gov.br/37188

Figura 2: Previsão do modelo COSMO entre às 21 h de 26/12/2021 até às 21h de 28/12/2021. Fonte: INMET.


Figura 3: Área de aviso vermelho de acumulado de chuva válido até às 10h de 28/12/2021. Fonte: INMET.

Veja NOTA Completa AQUI.

Para maiores detalhes acesse:

http://portal.inmet.gov.br

Nossas Redes Sociais e Aplicativo:

Instagram: @inmet.oficial

Youtube: INMET

Twitter: @inmet_

Facebook: INMETBR

LinkedIn:/company/inmetbr

Tiktok: @inmetoficial