Portal do Governo Brasileiro

MODELO METEOROLÓGICO DO INMET CONSEGUIU PREVER FORTES VENTANIAS OCORRIDAS NO LITORAL DE SANTA CATARINA E DO RIO GRANDE DO SUL EM FEVEREIRO

Ao utilizar o modelo do INMET, foi possível observar: tempestades com fortes ventos, queda de granizo e até trombas d'água (tornado sobre a água). As tempestades estavam organizadas em forma de linha de instabilidade, lado a lado, numa orientação norte-sul, no leste dos estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Por Viviane Samara Barbosa Nonato - publicado 10/03/2021 09h39 . Última modificação 10/03/2021 09h51 .


Estudo realizado pelo Dr. Giovanni Dolif do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), utilizando o modelo numérico de previsão do tempo com resolução de 1x1 Km do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), conseguiu prever as fortes ventanias ocorridas no litoral de Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, no dia 14 de fevereiro de 2021.

Ao utilizar o modelo do INMET, foi possível observar: tempestades com fortes ventos, queda de granizo e até trombas d'água (tornado sobre a água). As tempestades estavam organizadas em forma de linha de instabilidade, lado a lado, numa orientação norte-sul, no leste dos estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Esses fenômenos geralmente são causados por nuvens do tipo “cumulonimbus” que se desenvolvem e ganham mais força e tamanho do que normalmente se observa. Isso acontece quando temos um ambiente atmosférico que favorece o processo de convecção que é o mecanismo de formação e crescimento dessas nuvens.

Durante o uso do modelo do INMET, foi identificado pelo Dr. Giovanni Dolif que o modelo meteorológico mais utilizado no mundo é o modelo “GFS” (americano), com resolução de 25kmx25km. Entretanto, Giovanni Dolif afirma que “na grade de pontos onde são feitos os cálculos, na distância entre um ponto do GFS e ponto seguinte, temos 25 pontos do modelo de 1kmx1km” permitindo “reproduzir processos de escala menor do que, por exemplo, frentes frias (centenas ou milhares de quilômetros de extensão), como essas supercélulas que possuem alguns quilômetros de diâmetro”.

O INMET reforça que o modelo numérico com resolução de 1kmx1km ainda não é operacional, está em fase de testes, para ser implementado de forma a gerar previsões todos os dias. Atualmente, o INMET disponibiliza em seu portal (portal.inmet.gov.br) previsões numéricas do tempo de até 07 (sete) dias com resolução de 7x7km para toda a América do Sul e com resolução de 2,8x2,8km para as regiões Sudeste, Sul e Nordeste do Brasil, para um período de até 48h.

Para o Diretor do Inmet, Miguel Ivan Lacerda de Oliveira “quanto mais frequência, acurácia, qualidade e abrangência, melhor será. Nesse caso, o principal ponto é a mudança nos algoritmos do modelo e a capacidade de processamento. Iremos desenvolver dois pontos no modelo do Brasil que representará uma grande evolução: a) redução da grade espacial para 1x1km para o modelo de previsão do tempo; b) ampliação da previsão para 6 meses. Começamos os estudos e testes. Esperamos que até o final de 2021 estejam operacionais”.

Direção e velocidade dos ventos, em 10 metros, registrados pelo modelo do Inmet para o dia 14/02/2021 às 18:00 UTC para o litoral de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.