INMET firma parceria com a Plugfield para integração de Estações Meteorológicas no Brasil.

A parceria visa prover ainda maior acuracidade das estimativas e previsões das condições climáticas das diversas regiões do Brasil.

Por Maisa Pereira de Souza - publicado 29/06/2021 09h41 . Última modificação 29/06/2021 15h38 .



O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o órgão federal responsável pela meteorologia e climatologia no país e a Plugfield - Indústria Brasileira de Tecnologia para Sensoriamento e Monitoramento de Dados Climáticos, firmam parceria visando a troca de dados e informações de Estações Meteorológicas.


O acordo de cooperação técnica (ACT) firmado pelo Diretor do INMET, Miguel Ivan Lacerda de Oliveira e o Sócio e Diretor Comercial da Plugfield, Thiago Guerrer, traz ainda mais benefícios aos usuários do microclima brasileiro. Ao integrar o modelo de previsão numérica de tempo do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) às estações meteorológicas desenvolvidas pela empresa paranaense, será possível prover ainda maior acuracidade das estimativas e previsões das condições climáticas das diversas regiões do Brasil.


A Plugfield, conta com a expertise de mais de 14 anos no desenvolvimento de tecnologia e inovação do grupo Pumatronix e nasceu da oportunidade de expansão de um mercado até então pouco explorado ou com predomínio de tecnologia estrangeira junto ao agronegócio. Entre as soluções desenvolvidas, a estação meteorológica Plugfield WS18, composta por um conjunto de sensores, módulo de coleta, processamento e transmissão de dados, fabricadas no Brasil. De posse deste produto, torna-se capaz monitorar os principais dados climáticos necessários para a tomada de decisão, em tempo real. Tudo isso por meio de um aplicativo e também uma plataforma web disponibilizada gratuitamente aos usuários.


De acordo com o Diretor Comercial da Pumatronix, Thiago Guerrer, a parceria com Institutos como o INMET reforça ainda mais a qualidade dos dados hoje entregues pelo modelo WS18 em todo o Brasil e América Latina. Por isso, a integração com o modelo matemático do INMET faz com que a troca de dados entre a Estação e o Instituto por meio de um API, projetem dados ainda mais acurados em relação a previsão e estimativas do tempo. Em outras palavras, reforça Thiago, “quanto mais estações integradas ao sistema INMET, maior a acuracidade das estimativas e previsões das condições climáticas na diversidade brasileira, é o que chamamos de gestão do microclima.” Com os dados das microrregiões, o INMET transforma o modelo estatístico aplicado a previsão do tempo em um fator muito mais assertivo.


Com o crescente número de Estações instaladas pela Plugfield, os agricultores, terão a oportunidade de ter uma experiência ainda mais confiável quando precisarem de dados como previsão do tempo, luminosidade, ponto de orvalho, acumulo de chuva, pressão atmosféricas, quando for preciso plantar, colher, irrigar, pulverizar e até mesmo realizar um projeto industrial ou urbano que dependa destes fatores. “Imagine você alugando um avião para realizar uma pulverização e no dia chover? Sabemos que o gasto com insumos no momento certo para realizar a planejamento do manejo agrícola é a principal variável do agricultor, e é isso que queremos disponibilizar para todo e qualquer usuário: o momento perfeito”, comenta Thiago.


Para a Plugfield, a parceria é um grande marco para a empresa que desenvolve e fabrica produtos através de seus quase 100 colaboradores. Certo é que o compartilhar das informações que somente a capilaridade de estações meteorológicas instaladas em campo permite, somado às previsões do tempo disponibilizadas pelo INMET – propiciarão ainda mais benefícios ao agronegócio brasileiro – especialmente no tocante à produtividade e preservação de recursos, e esta parceria entre a iniciativa pública e a iniciativa privada só tende a dar certo e ser cada vez mais complementar, necessária e apropriada.


O INMET fornece há 111 anos informações meteorológicas para todas as atividades, sobretudo para subsidiar o planejamento e políticas públicas do agronegócio brasileiro. O Instituto gerencia o principal sistema nacional de dados meteorológicos a partir da Rede de Estações (composta por mais de 750 Estações) centenárias criadas e mantidas em conjunto via parceria, bem como as informações obtidas por modelos de previsão do tempo, com variáveis como temperatura, precipitação, umidade relativa do ar, radiação solar, velocidade e direção do vento. Além do monitoramento agrometeorológico, também prevê condições favoráveis ou não para a adoção de medidas envolvendo cultivos, pragas, entre outros.


A estratégia do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) tem sido a busca por novas parcerias e fechamentos de acordos técnicos, com intuito de atuar de forma conjunta com instituições para o aprimoramento do monitoramento e elaboração de previsões de eventos meteorológicos, pesquisas, desenvolvimento e inovação, colocando em prática o Sistema Nacional de Meteorologia (SNM).


Para o Diretor do INMET, Miguel Ivan Lacerda de Oliveira, “essa é mais uma parceria importante no plano estratégico do INMET de se integrar à Rede de Estações Meteorológicas, provendo e fornecendo um ambiente mais profícuo para o empreendedor e ao mesmo tempo com capacidade de prover o público em geral com melhores dados de tempo e clima. A meteorologia é essencial para a redução de riscos para a população e para a produção agrícola. Bilhões de reais podem ser economizados se a informação e o registro de clima e de tempo estiverem precisos e disponibilizados para a população de forma correta”, afirma.